in

Fachin nega pedido da PF para investigação de Toffoli

O pedido da PF foi feito com base na delação premiada de Cabral.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, negou, nesta sexta-feira (14), pedido da Polícia Federal (PF) para abertura de inquérito contra o também ministro Dias Toffoli.

O pedido da PF foi feito com base na delação premiada do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que acusou Toffoli de recebimento de propina por decisões judiciais.

A informação é da emissora CNN Brasil. Saiba mais detalhes:

  • Fachin também proibiu a polícia de executar qualquer ato de investigação a partir da delação de Cabral até que o plenário do STF decida sobre a validade da colaboração premiada.
  • A delação do ex-governador embasava o pedido de abertura de inquérito da PF.
  • Fachin marcou para o próximo dia 21 o julgamento no plenário virtual do STF sobre a validade da delação de Cabral.
  • Relator da operação “Lava Jato” no STF, Fachin foi o responsável por homologar a delação de Cabral à PF em fevereiro de 2020.
  • A Procuradoria-Geral da República (PGR), porém, recorreu e pediu para o STF invalidar o acordo da PF com Cabral.

É HOJE! Caminhoneiros chegam em Brasília para ato pró-Bolsonaro

Manifestação em Brasília segue a todo vapor